Após a turnê "Forty’n’Fuck It", que marcou o encerramento de carreira da lendária banda Twisted Sister em 2016, Dee Snider segue em carreira solo e faz turnês pelo mundo.
Já em 2017, foi convidado para participar do lineup do grande festival Graspop Metal Meeting, que ocorre na cidade de Dessel (Bélgica). No ano anterior (2016), Twisted Sister foi headliner nos festivais Sweden Rock Festival e Graspop Metal Meeting, os quais tive a honra de fazer a cobertura.

No final de Março deste ano, Dee Snider esteve em São Paulo e se apresentou no Tom Brasil. A casa estava lotada, e Dee fez um show digno da lista dos melhores shows de 2019 até agora.
...

Read...

"Say hello to heaven" Chris Cornell


With sadness the world woke up with the announcement that Chris Cornell, one of the most expressive voices from the 90’s representing the Grunge movement along with Eddie Vedder, Kurt Cobain (rip), Scott Weiland (rip) and others, passed away. After investigations, it was confirmed Chris commited suicide at the hotel right after a successful concert.
Singer and songwriter of Soundgarden, Audioslave and Temple of the Dog, had dedicated his last years to a solo career.

This photo was taken at the first concert of his that I photographed. It was in São Paulo, Brasil.

Chris Cornell (July20, 1964 - May 17, 2017)
...

Read...

U2 - "The Joshua Tree" 30th Anniversary


After the "360" Tour six years ago, U2 returns to Brasil in October 2017.
The irishman will be in Morumbi Stadium, SP, for two nights (19 and 22 of October) to perform "The Joshua Tree" 30th Anniversary Tour.

Depois de seis anos, quando trouxe a turnê "360", U2 volta ao Brasil em outubro de 2017.
Os irlandeses vem a São Paulo para dois shows no Estádio do Morumbi (19 e 22 de outubro), apresentando a turnê comemorativa de 30 anos do álbum "The Joshua Tree".
...

Read...

Tears for Fears @ Rock in Rio 2017


Tears For Fears is now confirmed in the lineup sharing stages of "Palco Mundo" with Jota QuestAlter Bridge and Bon Jovi, the latter one closing the night of  September 22.
This year "A Cidade do Rock" will be settled at the Olympic Park

Confirmado! Tears For Fears dividirá o Palco Mundo com Jota Quest, Alter Bridge e Bon Jovi que fecha a programação do dia 22 de setembro com chave de ouro.
Este ano A Cidade do Rock será montada no Parque Olímpico.

...

Read...

Lynyrd Skynyrd 2017 Brasil Tour


Get ready for one of the best Southern Rock bands ever, the legendary Lynyrd Skynyrd. After the last tour in Brasil at the SWU 2011 Festival, the north american band comes to Brasil touring with Deep Purple and ZZ Top. What about it, huh?


Preparem-se para a vinda da banda que popularizou o Southern Rock durante os anos 70.
A banda norte americana Lynyrd Skynyrd vem ao Brasil e fará parte de um grande evento junto com Deep Purple e ZZ Top. Nada mal! Pelo contrário, tudo de bom!!!
...

Read...

Def Leppard - Brasil 2017


It is official!
After many years of waiting and a great expectation about their coming,
Def Leppard is confirmed in the lineup of bands to play on September 21st at Rock In Rio 2017 edition

Agora é oficial!
Depois de muitos anos de espera, está confirmada a vinda de Def Leppard fazendo parte do Line Up das bandas do dia 21 de setembro, no Palco Mundo do Rock In Rio 2017
...

Read...

Les Miserables


Teatro Renault, SP, presents Les Misérables, the most traditional musical in the world, with more than 125 international awards. Based on the novel of Victor Hugo, it has been performed since March 10 and it will be available on extra sessions during the holidays in April. It’s unmissable!

Continua em cartaz no Teatro Renault o musical mais antigo do mundo, vencedor de mais de 125 prêmios internacionais.
Baseada no romance de Victor Hugo, a peça Les Misérables já foi vista do mais de 70 milhões de pessoas ao redor do mundo. É imperdível, contando com um elenco de altíssima qualidade e uma produção excepcional.

...

Read...
Foto: Pati Patah Photography @ Rock in Rio 2011

Elton John - Brasil Tour 2017


Elton John is in Brasil and has already performed in Curitiba, Rio de Janeiro and Porto Alegre.
This coming Thursday, April 6th, the singer will contemplate the fans in São Paulo, going onstage along with the legendary as well James Taylor, at Allianz Parque Stadium

Elton John está no Brasil para uma série de shows e já passou por Curitiba, Rio de Janeiro e Porto Alegre.
Nesta 5a. feira, dia 06 de abril, o cantor subirá aos palcos de São Paulo juntamente com o também lendário James Taylor para sua última data em solo brasileiro, no Allianz Parque
...

Read...

Lollapalooza Brasil - 25 & 26.03.2017


The 2017 edition of Lollapalooza Brasil took place at Autódromo de Interlagos, São Paulo, on 25 and 26 of March. It was a blast of a festival gathering a diversity of bands throughout four stages, many activities for kids, stores, foodtrucks, lounges and so on. Metallica was the Headliner on the 25th and The Strokes on the 26th. The 80’s classic band Duran Duran also played on the second day of the event

Aconteceu nos dias 25 e 26 de março mais uma edição do Lollapalooza Brasil no Autódromo de Interlagos, SP. Com um público considerável e uma diversidade de bandas distribuídas nos 4 palcos, atividades para crianças, lojinhas, foodtrucks, lounges e muito mais. Como Headliner do primeiro dia, Metallica e no segundo dia The Strokes. O público foi contemplado também por um lindo show da clássica dos anos 80, Duran Duran...

Read...

Steve Vai no Brasil em 2017


Last time I photographed Steve Vai was at Sweden Rock Festival last year (2016). This year he is coming to Brasil for 6 performances of the 25th Anniversary Tour"Passion and Warfare".See a retrospective of Vai’s gig at SRF16.

#EMBED#

...

Read...

Pati Patah wishes a Happy Guitarist's Day




In homage to all guitarists, I celebrate this day with photos of some of the guitarists I have photographed along my career.
I take a chance to illustrate this post with one of my favorites, Wolf Hoffmann from Accept, clicked at a press conference at Sweden Rock Festival 2011

Em homenagem a todos os guitarristas, comemoro o dia de hoje com um apanhado de alguns guitarristas que já fotografei durante minha carreira. Aproveito para ilustrar este post com um dos meus favoritos, Wolf Hoffmann da banda Accept, clicado em coletiva de imprensa no Sweden Rock Festival 2011

Happy Day!! Feliz Dia!!


#EMBED#

Music by Wolf Hoffmann (Accept) - "Whispers of Soul"
...

Read...
thiago

Thiago Anduscias


Baixista da banda brasileira de death metal Nervochaos
Thiago voltará em breve para a estrada, durante a turnê Latino Americana da banda juntamente com outra brasileira de renome, Krisium
...

Read...

2017 vai ser 10!


Mais um ano passou e no balanço geral podemos dizer que foi, por um lado, um ano tumultuado para a música mundial com grandes perdas como David Bowie, Glenn Frey (Eagles), George Martin (produtor dos Beatles), Keith Emmerson e Greg Lake (ELP), Prince, Nick Menza (Megadeth) Scotty Moore (Elvis Presley), James Woolley (NIN), Peninha (Barão Vermelho), Leonard Cohen. E por outro, um ano forte para o Rock no Brasil, que abriu as portas e o público abriu os braços para grandes bandas a começar The Rolling Stones que fez um show de cair o queixo. Neste pacote tivemos também Aerosmith, Guns N Roses e para fechar com chave de ouro, Black Sabbath em sua turne de despedida dos palcos. Além disso foi o ano do debut de um grande festival que parece ter vindo para ficar, o Maximus Festival, que já no seu primeiro ano, trouxe bandas antes inéditas que ja vem fazendo grande sucesso nos Estados Unidos e Europa há alguns anos. Segundo os organizadores, pretendem moldar este festival nos padrões dos europeus Wacken e Hellfest.

Muita coisa está anunciada para 2017 como shows de Jason MRaz, Elton John, James Taylor, Ace Frehley, Roger Rodgson, Opeth, Korn, Sting e muito muito mais, além de festivais como o Lollapalooza que terá Metallica e Maximus Festival com uma das minhas bandas favoritas da atualidade, Five Finger Death Punch, além de Ghost, Slayer e Rob Zombie.E vamos que vamos que esse ano é Rock!...

Read...

(c) patipatah

Grande guitarrista brasileira e seu novo CD


Grande guitarrista brasileira lançando seu novo CD "My Moods" no Bourbon Street Music Club...

Read...

Graspop Metal Meeting 2017


Graspop 2017 e uma lembrança do que foi a edição de 2016.

Os festivais europeus cada vez mais influenciando o que vem para o Brasil a seguir?




#EMBED#


A 22a. Edição do Graspop Metal Meeting já tem data marcada e mais da metade de seu lineup anunciada. De 16 a 18 de junho de 2017 o Parque Stenehei em Dessel, Bélgica, estará mais uma vez tomado por visitantes do mundo todo para assistirem o melhor do heavy metal, melodic, power, death metal, metalcore apresentados nos 5 palcos.

Já na primeira noite, como headliner, teremos o show explosivo dos alemães do Rammstein.

Na segunda noite o headliner será Deep Purple, a lenda que junto com Black Sabbath e Led Zeppelin começaram tudo o que hoje temos de hard rock, metal e suas diversas vertentes.

E fechando o terceiro e último dia do festival, Evanescence. Estas três grandes bandas estarão pela primeira vez no Graspop!

No decorrer do final de semana mais roqueiro da Bélgica, a trilha sonora terá como responsáveis bandas para fãs de todos os gostos como Five Finger Death Punch, Clutch, Rob Zombie, Alter Bridge, Anathema, Suicidal Tendencies, Steel Panther, Ministry, Ugly Kid Joe, In Flames, Europe, Epica, Opeth, Hatebreed, Airbourne, Queensryche, dentre mais de 60 já anunciadas. Recentemente foram confirmadas as bandas A Day to Remember, Amenra, Architects, Brides of Lucifer, Crown The Empire, Every Time I Die, Gojira, King’s X, Like A Storm, Mastodon, Max & Iggor Cavalera - Return To Roots, Metal Church, Sabaton, Touché Amoré e W.A.S.P. A cada update, nossa expectativa de um festival massivo aumenta.


Os festivais europeus, incluindo logicamente o Graspop Metal Meeting, estão cada vez mais parecendo um prenúncio do que virá para o Brasil nos anos seguintes.

Algumas das bandas já anunciadas em 2017 em solo brasileiro são Opeth, King Diamond, Rob Zombie, Five Finger Death Punch, Hatebreed, as novas turnês de Ghost, Pennywise e Slayer e muito mais!


Para relembrar o ano de 2016, a Rock Brigade Magazine, que esteve presente durante todo o verão cobrindo vários festivais lendários do velho continente, conferiu o Graspop Metal Meeting pela terceira vez consecutiva. E o que dizer do Graspop que em um único final de semana proporcionou aos 155mil visitantes de 103 nacionalidades nada mais nada menos do que King Diamond, Black Sabbath, Iron Maiden, Saxon, Anthrax, Twisted Sister e Overkill? E mais, Megadeth, Soilwork, Ghost, Amon Amarth, e muito mais. No total foram 106 bandas distribuidas nos 5 palcos, totalizando 5.850 minutos de rock!

Não só pelas bandas presentes, foi uma edição especial que marcou novas formações de grandes bandas, tours de aniversário, tours de despedida, tours com set lists ineditos e produções de palco cinematográficas. E é uma reunião de povos, representando em grandes proporções Belgica, Holanda, Alemanha, Espanha, Australia, Canada, Turquia, Nova Zelândia, Malta, Mauritania, Mexico, Portugal, Argentina. Em menor quantidade, estamos lá, roqueiros brasileiros fazendo a nossa parte. Até a chuva, o sol, o calor e o frio fizeram parte dos 3 dias de rock contínuo, sem intimidar quem estivesse por lá.


Como tradição, quinta feira é o warm up day. O dia em que as pessoas vão chegando ao Parque para troca de ingressos, registro e credenciamento. É o dia que também ja se acomodam seja no camping do festival, seja nos hoteis das cidades proximas. O Parque ja estava bem movimentado com bandas se apresentando nos palcos menores. Fechando a noite o show de Dir Schneider marcando a tour de despedida dos sucessos de sua epoca no Accept. Tivemos uma amostra do que Trivium faria dias depois em um dos palcos principais.


Ja na sexta feira, um dia especial com o Headliner talvez mais esperado: Black Sabbath com sua The End Tour. Muito triste pensar que os precursores do metal estavam lá se despedindo dos palcos. Mas estavam, Ozzy com seu jeito único provando mais uma vez que veio para ser inesquecível. Tony Iommi destruindo a guitarra com seu sorriso discreto no rosto, ora sorria para as brincadeiras de Ozzy que pedia mais barulho do publico. A lua cheia estava lá também assistindo esse grande espetáculo. Infelizmente não foi permitida a cobertura fotográfica do pit, mas conferimos de algumas centenas de metros de distância.


O headliner do ultimo dia do festival foi Iron Maiden, seguido do show de despedida de Twisted Sister, com Mike Portnoy na bateria substituindo o saudoso AJ Pero.


E no meio tempo entre as grandes atrações de cada dia, tivemos bandas e artistas de peso a começar pela banda Firewind, com Gus G. nas guitarras, seguido do rock and roll com um certo peso da Monster Truck, da Municipal Waste, o tradicional Raven, o pesado e melódico Soilwork, The WineryDogs, SixxAM com os ex integrantes do hard rock Motley Crue e Guns and Roses.

Shows bastante animados do punk rock de Bad Religion, do folk Dropkick Murphys que agitaram o público. O rock and roll do Foreigner e sua tour de 40 anos.

Vários palcos cinematográficos como no show maravilhoso e teatral de King Diamond, Amon Amarth com seus dragões gigantes, o cenário característico de Powerwolf, uma banda que acredito em breve ver no Brasil.

Sem contar com o folk-hard rock de Volbeat levantando o publico o show inteiro. Banda que torço para voltar logo também para nos presentear.

Fogos e mais fogos nos shows de Heaven Shall Wait, Nightwish, Twisted Sister, Iron Maiden e muito mais!!!



...

Read...

Tattoo On Stage, a personal project came ou a photo exhibit


Tattoo On Stage is an independent photo project that has been developed by the photographer Pati Patah since about 10 years.
Pati’s will is to register the combination of two elements in our lives that match very well together. These elements that for many years sufferred prejudice and since some years have grown and get more and more respect: Rock & Tattoo.

I has turned out to be an exhibition and it took place in Ao Vivo Music Bar, as well as be part of the 35th Anniversary event of the reknown Tattoo studio, Tattoo You.
...

Read...

Sweden Rock Festival - Day 4 (11-06-2016)


Num piscar de olhos, hora de agitar e tomar o rumo para o parque e acompanhar o último dia. A Headliner responsável pelo encerramento do festival é a sueca Sabaton. Esta banda tem meu grande respeito por ter feito uma homenagem ao exército brasileiro através da música "Smoking Snakes". A primeira vez que tocaram no Sweden Rock Festival doi em 2005. Desta vez, após 11 anos, voltam ao palco principal como headliners. Prova de que a banda explodiu nos últimos anos. Porém, muita coisa boa antecedendo até Sabaton chegar.

Começando as coberturas do dia, fui checar o 4 Sound Stage onde rolava o show da irlandesa oitentista Gun, estreiando no Sweden Rock Festival. Com pitadas de The Clash e Simple Minds misturadas ao hard rock britânico. Participou da turnê dos Rolling Stones, quando passou a ter maior expressão no cenário. Musicalmente lembra bastante o hard rock da suiça Gotthard, bem como o da inglesa Def Leppard.

Rapidamente segui para o Festival Stage onde iria começar The Winery Dogs. Deu a impressão de que Mike Portnoy pernoitou no palco principal depois de fechar a noite anterior com Twisted Sister.

Este trio de mestres Richie Kotzen, Billy Sheehan e Mike Portnoy resulta em um "hard-rock-clássico-progressivo". Com apenas quatro anos de vida e dois álbuns, já tem uma enorme legião de fãs. Logicamente estes três nomes têm bastante peso.

Logo segui caminho para o Lemmy Stage checar a norte americana The Hooters. Embora tivesse fotografado no SRF há 2 ou 3 anos, era particularmente uma das minhas esperadas. É um tipo de banda que dá vontade de ver mais de uma vez.

O sol, o céu azul e algumas nuvens de algodão enfeitavam o dia. O público imenso desde cedo enfeitava o parque. Do início ao fim, The Hooters teve a concentração dos fãs cantando e dançando os clássicos como "All You Zombies", "500 Miles", "Johnnie B". A banda marcou época nos anos 80 com uma combinação de rock’n’roll e folk. Conquistou o coração dos suecos principalmente após o terceiro álbum "Zig Zag".

No Sweden Stage estavam os finlandeses da Finntroll, banda de 1997 que traz uma combinação de folk e black metal. A maioria das músicas da banda é cantada em sueco, pois o vocalista original é de uma parte da Finlândia que fala sueco. Mesmo com mudanças no lineup da banda, continuam escrevendo em sueco.

Em breve começaria o show de um dos maiores mestres da guitarra, o norte americano Steve Vai. Dispensa comentários este que fez parte dos 10 maiores guitarristas do mundo pela revista Guitar Player e ganhador de três Grammy’s! Apenas espetacular a apresentação de Steve Vai. Com Frank Zappa, David Lee Roth, Whitesnake, Ozzy Osbourne, além de sua participação nas apresentações G3, dezesseis álbuns de estúdio e quinze milhões de cópias vendidas, esta é a estréia de Vai no Sweden Rock Festival.

Logo seria a vez da norte americana de metal progressivo Symphony X no Lemmy Stage. Aproveitei para checar o irlandês Eric Bell e seu trio no Rockklassiker Stage. Nada como relembrar Thin Lizzy ao som de "Whiskey In The Jar". Membro original da irlandesa Thin Lizzy, participou de três álbuns. Ao deixar Thin Lizzy, seguiu com sua própria banda, The Eric Bell Trio, e tempos depois fez parte da Noel Redding Band. Desde a década de 90 vem seguindo com seu trio e se dedicando ao que mais gosta, o Blues.

A postos para fotografar atualmente considerada a mais linda voz do metal por muitos, Russell Allen. Havia recém fotografado Symphony X no Brasil e logo reconheci o backdrop. Já dava para ver a multidão chegando a frente do Lemmy Stage e em minutos o show começou. Desde 1994 a banda lançou nove álbuns de estúdio e a última apresentação no Sweden Rock foi em 2012.

O dia estava indo embora e a noite chegando. No Festival Stage muitos já esperavam o lendário fundador da banda clássica de heavy metal Accept, o alemão Udo Dirkschneider. Ao sair da banda em 1987, fundou sua própria banda U.D.O. Segundo o vocalista, a turnê Dirkschneider tem no setlist exclusivamente músicas do Accept que apresentará pela ultima vez, dando sequencia ao que vem produzindo com sua banda atual.

Os norte americanos da banda Anthrax foram os próximos a ocupar o Lemmy Stage. Grande nome do Thrash Metal lado a lado com Slayer, Metallica e Megadeth. Joe Belladona como interagindo com o público fez uma apresentação como sempre impecável. Depois de retornar em 2011, a banda gravou dois ábuns de estúdio sendo o mais recente em 2016.

Dei uma corridinha ao Sweden Stage para conferir os norte americanos da banda de glam metal King Cobra fundada em 1984 por Carmine Appice fazendo sua estréia no festival.

De volta ao palco principal para a Headliner da última noite. Ao chegar no pit, dei de cara com dois tanques de guerra, onde em um deles estava montada a bateria. De repente entrou o baterista com suas baquetas ao alto levando o público a loucura. Showtime! Com direito a uma belíssima iluminação, fogos e uma apresentação de tirar o chapéu! A banda em grande sintonia não só entre os integrantes, como com o público.

Há rumores de que Sabaton em breve irá se apresentar no Brasil! É um show imperdível!

No final, fogos no palco, fogos no céu, uma grande celebração para comemorar o aniversário de 25 anos de Sweden Rock Festival.

E a edição de 2017 ja tem data marcada! De 7 a 10 de junho!

Acompanhe as noticias na Rock Brigade


...

Read...

Sweden Rock Festival - Day 3 (10-06-2016)


Começando o terceiro dia do Festival já bate uma pontinha de tristeza, pois o terceiro dia está mais próximo do final.

Surpreendentemente o clima continuava bem favorável. Chuvas bem esparsas e bem rapidas e logo o sol voltava na temperatura exata para correr de um lado para o outro.

E começando as coberturas do dia, a holandesa Epica, uma das mais expressivas bandas de metal sinfônico sob o vocal potente de Simone Simons, abre o Lemmy Stage para o penúltimo dia de festa. Já por volta das 12:00pm o parque já estava bastante movimentado, em especial para curtir o show de Epica. A banda está em processo de gravação de seu sétimo álbum.

Em breve, no Festival Stage, iria começar o show da americana Dan Reed Network, grande favorita entre os suecos nos anos 80 e 90. Com uma mistura de rock, funk e ritmos latinos, agitaram o público fazendo os headbangers balançarem o esqueleto. O sol estava raiando e a vibe no parque estava boa demais!

Após uma pequena pausa, fui em direção do Sweden Stage para conferir a japonesa Loudness. Uma lenda do hard rock, com vinte e seis álbuns de estúdio desde 1981, estava fazendo sua primeira apresentação no Sweden Rock Festival. E que apresentação! Os japoneses têm o poder incrível de contagiar o público.

Um dos grandes esperados do festival foi Glenn Hughes. Figura importante no rock mundial, que vem desde a década de 70 fazendo história passando pelas bandas Trapeze, Deep Purple, Black Sabbath, Gary Moore e muito mais. Glenn continua maravilhosamente cantando e encantando com sua voz através do blues, do soul e do hardrock.

Outra grande esperada do festival foi Lita Ford. Representando a safra de roqueiras guitarristas da voz forte e rouca dos anos 70. Conhecida pela sua participação na banda Runaways ao lado da também lendária Joan Jett. Após o fim da Runaways, Lita Ford partiu para carreira solo. Sem dúvida alguma foi um show maravilhoso com Lita provando que ainda tem muito gás para queimar na estrada do rock and roll. E o público comprovou que ela está em muito boa forma física e musical.

A caminho da sala de imprensa antes do término do show da Lita, fiz uma parada no Rockklassiker Stage. O que me chamou a atenção foi um som "old school" da jovem canadense de 2009, Monster Truck. Um som bacana misturando blues, groove, rock and roll. Depois de alguns cliques, segui caminho pois em breve começaria a coletiva de imprensa da norte americana Twisted Sister, auto intitulada Twisted "Fucking" Sister. Devido ao atraso da banda, a coletiva ocorreu exatamente no mesmo horário do show da também norte americana Foreigner, mas achei mais importante estar na coletiva. Aconteceria o anúncio de Mike Portnoy no lineup da banda substituindo A. J. Pero além de falar da turnê de despedida "Forty and Fuck It". Twisted Sister ia encerrar as apresentações do Festival Stage neste terceiro dia.

Ao final da coletiva, segui para o Lemmy Stage para acompanhar o show da sueca Hellacopters de 1994. A banda nasceu como projeto paralelo de Nicke Andersson (na época membro da banda Entombed) e Dregen (Backyard Babies) e em 1996 lançou seu primeiro álbum "Supershitty to the Max", gravado em apenas 26 horas e vencedor do Grammy. Em 2008, já com sete álbuns de estúdio, a banda se consagrou como uma das maiores influências na cena do rock sueco e hoje, oito anos depois, fez novamente esta apresentação no Sweden Rock Festival como show de aniversário de 20 anos do primeiro álbum.

Ao mesmo tempo, no Sweden Stage, o power metal dos alemães do Gamma Ray. Fundada em 1989 e com onze álbuns de estúdio, o ex- Helloween Kai Hansen divide os vocais com Frank Beck desde 2015.

Em seguida voltei para o palco principal, o Festival Stage. A Headliner Twisted Sister já pronta para subir ao palco. Eis que parte da cozinha foi preenchida por Mike Portnoy levantando as baquetas e saudando o público! A banda inteira ocupou o palco e deu início ao grande show de despedida. Eu estava felicíssima pois a banda já havia nos avisado que poderíamos fotografar o show inteiro! Sonho de qualquer fotógrafo de show que hoje como de praxe pode no máximo fotografar as três primeiras músicas de qualquer show. Teve fogo no início, teve fogos no final! Foi um grande espetáculo e Dee Snider se comunicou muito com o público. Falou bastante sobre A. J., sem deixar de elogiar e agradecer Mike Portnoy por acompanhar a banda.

No decorrer da apresentação, todos os integrantes dedicaram algumas palavras ao público, e em alguns momentos parecia que a banda não queria deixar o palco.

Ao mesmo tempo rolava o show da norueguesa Satyricon no 4Sound Stage e logo após fechando o terceiro dia, deu início ao show da alemã de opera rock Avantasia. Projeto de Tobias Sammet (EdGuy). A primeira vez que fotografei Avantasia foi no Sweden Rock Festival 2008, e como vocalistas convidados pudemos conferir Jorn Lande e Andre Matos. Nesta edição de 2016, tivemos Ronnie Atkins (Pretty Maids) e Michael Kiske (Unisonic).

E assim fechamos o terceiro e penúltimo dia de Sweden Rock Festival. Agora a tristeza começa a crescer. Só de imaginar que o dia da despedida está para começar, já enche os olhos d’água. Mas se as coisas maravilhosas da vida não tivessem um fim, elas não seriam maravilhosas.

...

Read...

Sweden Rock Festival - Day 2 (09-06-2016)


O segundo dia do festival já começou com o sol brilhando no céu enquanto as estrelas se preparavam para as apresentações nos 5 palcos montados, lembrando que no segundo dia abrem os dois principais, Lemmy Stage (aka Rock Stage) e Festival Stage. A área do festival já estava cheia e subindo as cortinas do Lemmy Stage, a fantástica banda de metal, as vezes melódico, Lordi e seus integrantes perfeitamente vestidos. Enquanto fotografava ficava me perguntando como conseguiam tocar com toda aquela vestimenta. Incrível! Proveniente da Finlândia, desde de 1992, teve várias alterações no seu lineup, mantendo os originais Mr. Lordi (vocalista) e Amen (guitarrista). Fez uma apresentação impecável, interagindo lindamente com o público cantando e balançando a cabeça do início ao fim.

Para os amantes do Blues Rock, os norte americanos da banda The Kentucky Headhunters e os suecos da Painted Sky comandavam respectivamente o Sweden e o Rockklassiker stages. Com oito albuns de estúdio, é a primeira gig européia da The Kentucky Headhunters nos palcos do SRF2016, e além disso a única apresentação da viagem ao velho continente. Algo histórico para os fãs de "southern rock" apreciarem. Já a Painted Sky, conterrânea do festival, tem um pé no Blues dos anos 70 e o outro no Metal dos anos 80. Também uma grande banda!

Já segui em direção ao Festival Stage para acompanhar o show da banda norte americana Halestorm com o belíssimo vocal de Lzzy Hale abrindo as portas do Festival Stage nesta 25a edição. O terceiro e mais recente álbum da banda é de 2015, "Into the Wild Life" e também o mais bem sucedido. A mistura das guitarras marcantes com o vocal potente e arranhado de Lzzy me chamou bastante a atenção. Um "hard rock and roll" bem gostoso de ouvir. Halestorm é bastante conhecida por praticamente viver na estrada, inclusive estará no Brasil no segundo semestre deste ano. Vale bastante a pena conferir!

De lá já parti para o Lemmy Stage para fotografar Sixx AM. Era uma das minhas esperadas, pois queria ver Nikki Sixx (ex-Motley Crue) e DJ Ashba (ex-Guns’n’Roses) juntos ao vivo. Completando a banda, o vocalista James Michael, que trabalhou como produtor/engenheiro de mixagem de varios artistas e bandas como Alanis Morissette, Meat Loaf, Mötley Crue, Hammerfall, Scorpions, Sammy Hagar, Halestorm entre outras. Foi um show incrível! Com uma energia e uma presença de palco contagiantes.

Ao mesmo tempo estava rolando um metal extremo da sueca Entombed AD, então corri para o Sweden Stage. Entombed AD renasceu da falecida-em-2014 Entombed, mantendo quase todos os integrantes e incluindo o vocalista L-G Petrov. O segundo e mais recente álbum da banda, "Dead Dawn", foi lançado em fevereiro deste ano.

Mais uma banda que também estará no Brasil no segundo semestre, a norte americana de hard rock Shinedown, já se preparava para subir ao Festival Stage então corri para lá. Nasceu em 2003 como parte do movimento pós grunge. Com cinco álbuns e seis milhões de álbuns vendidos, sua popularidade em sólo sueco vem crescendo. A performance do baterista Barry Kerch é daquelas de querer parar tudo e ficar acompanhando. O auge da apresentação é quando o vocalista Brent Smith desce na pista e caminha pelo público e ao voltar ao palco faz todo mundo pular. Depois de fotografar as três primeiras músicas permitidas e me enfiar no público para fotografar Brent junto ao público, corri para o Sweden Stage para rapidamente registrar a norte americana L.A. Guns, considerada das mais persistentes do glam metal do final dos anos 80. Fotografei uma música e corri para o Lemmy Stage, onde rolava o show da sueca Graveyard, para pelo menos registrar uma música também. Imperdível banda que atualmente é uma das maiores na onda de bandas suecas inspiradas no hard rock setentista. Com quatro álbuns, alcançou grande sucesso com seu segundo álbum "Hisingen Blues" de 2012, bastante significativo pelo vocal muito semelhante ao de Led Zeppelin.

Depois de uma pausa de dez minutos para uma água e um cigarro, vamos a norte americana Slayer prontinha para subir ao Festival Stage. O primeiro álbum "Show No Mercy" deu à banda o status da mais rapida e mais pesada do metal. Com os originais Tom Araya (vocais e baixo) e Kerry King (guitarra), mais Gary Holt também na guitarra (Exodus), Paul Bostaph na bateria (ex-Forbidden, Exodus, Testament) e onze álbuns na carreira, Slayer se mantém como uma das maiores influências no thrash metal. Como de costume, uma apresentação exemplar, contando com a simpatia de Tom que constantemente sorria para o público.

Mais uma pausa rápida e a caminho do Lemmy Stage para o show da norte americana Megadeth. A banda dispensa comentários e particularmente estava ansiosa para este show pois seria minha primeira vez fotografando o nosso brasileiro Kiko Loureiro como guitarrista dessa grande banda. E dito e feito, foi uma apresentação maravilhosa! Não pude evitar dedicar a Kiko boa parte do tempo permitido para fotografar no pit. É emocionante ver um grande artista brasileiro em uma grande banda internacional em um grande festival. Já tendo fotografado o Kiko diversas vezes no Brasil enquanto integrante da banda Angra, tive a impressão de que não só Megadeth e Dave Mustaine, mas o mundo se abriu para ele e vice versa. É perceptível a confiança de Dave em Kiko. Lindo de ver! Aguardem Megadeth no Brasil ainda este ano.

Já indo a caminho do Festival Stage para a Headliner do dia, Queen + Adam Lambert, fiz uma parada no Rockklassiker Stage para conhecer a banda sueca de metal sinfônico Eleine. Chegando ao Festival Stage recebi o comunicado de que não poderia fotografar Queen pois a produção da banda havia selecionado poucos veículos locais, então segui para o 4Sound Stage conferir o show da lendária banda norueguesa de black metal Mayhem. Na sequencia, a sueca Soilwork no Sweden Stage, uma das mais bem sucedidas bandas de death metal melódico que vem crescendo desde sua fundação. Alguns minutos depois a dinamarquesa King Diamond concentrou as atenções do parque para a apresentação na íntegra do seu segundo álbum "Abigail", sem falar da produção de palco, com talvez o cenário mais arrojado da carreira da banda.

Mais de 1h da manhã, um pouco de descanso para começar a segunda metade do festival.
...

Read...

Sweden Rock Festival 2016 - Day 1 (08-09-2016)


Os festivais europeus mais uma vez deixam saudades.

Ficam na lembrança pela sua excelência quanto a organização, segurança, harmonia entre outras dezenas de qualidades que seriam poucas para classificar, em especial, o Sweden Rock Festival.

Tradicionalmente realizado na cidade de Sölvesborg, ao sul da Suécia, o festival comemorou seu 25o. aniversário durante os dias 8, 9, 10 e 11 de junho trazendo um line up bem variado, reunindo dezenas de bandas de classic rock, hard rock, metal, blues, blues rock e um pouco de pop.

E a Rock Brigade Magazine esteve lá mais uma vez para conferir este que é um dos mais bem conceituados festivais europeus.

Mais uma vez, visitantes de mais de 50 países fizeram parte de uma grande festa com 5 palcos, excelente estrutura de alimentação, entretenimento, segurança, além das lojas de cds, artesanato, roupas e acessorios. Já no segundo dia de festival, todos os ingressos estavam esgotados.

Em comparação ao ano passado, tivemos um bônus: o clima bem mais favorável! Não fez tanto frio e apesar de momentos de chuva nos primeiros dias, o sol tomou conta.

Para relembrar, os shows acontecem em cinco palcos, no Festival Stage (onde acontecem os shows de maior destaque e os headliners), o Lemmy Stage (homenagem a Lemmy, que se apresentou diversas vezes neste palco, tradicionalmente conhecido como Rock Stage), o Sweden Stage, 4Sound Stage e Rockklassiker Stage.

Na tarde ensolarada de 4a feira, o 4Sound Stage abriu as portas para a primeira apresentação do festival com a banda sueca Saffire (2007) de metal progressivo e que vem notavelmente emergindo do underground.

Na sequencia, tivemos a apresentação do dinamarquês Mike Tramp (conhecido como vocalista da banda de hard rock novaiorquina White Lion) inaugurando o Sweden Stage.

Eu particularmente estava ansiosa para ver este show e superou minhas expectativas. Com nove discos solo no curriculo, Mike e sua banda esbanjaram no rock and roll com uma pegada de blues e um quê de southern rock, sem falar do seu carisma. Em paralelo acontecia no Rockklassiker Stage o show da banda escocesa King Witch do início de 2015 que mistura o metal tradicional com o clássico dos anos 70, além do trazer o vocal feminino rouco e potente de Laura Donelly, que remete a Janis Joplin.

Rapidamente fui ao 4Sound Stage onde ia começar o show da sueca Eclipse, banda de hard rock que me lembrou muito Whitesnake. Logo voltei para o Sweden Stage para o show da banda também sueca Bonafide (2007), que fotografei anteriormente no Sweden Rock de 2008 e pude notar um crescimento da banda, um rock and roll bem amadurecido na pegada de ACDC e um toque de blues. Com cinco albuns na carreira, Bonafide já abriu shows de Deep Purple, Quireboys e Status Quo.

Fiz um corre passando pelo 4Sound Stage para conhecer mais uma sueca, Skitarg, banda de metal que se autodenomina clown metal, com um visual divertido no vestuário e na maquiagem, bem como na performance. Parei no Rockklassiker Stage para checar a britânica Diamon Head banda clássica de heavy metal da década de 70 e de grande importância na New Wave of British Heavy Metal. É também forte influência para bandas de Thrash Metal, lado a lado com Metallica e Megadeth.

Segui para conferir o show da banda de metal Amaranthe que acontecia no Sweden Stage. A banda conta com 3 estilos de vocais, sendo um feminino e dois masculinos e é mais uma conterrânea para mostrar que o rock sueco não está para brincadeira.

Em seguida voltei ao 4Sound Stage para o show do britânico Graham Bonnet, mais um que estava aguardando ansiosamente, mas dessa vez deixou a desejar. Não sei se houve algum problema técnico mas senti que o áudio do show não estava legal.

Voltei para o Sweden Stage para o fechamento do primeiro dia do festival com o show da banda alemã de powerspeed metal Blind Guardian.


...

Read...



Page:   1



All the photography in this website is by Pati Patah and is protected by copyright terms; any use requires the photographer, the artists and the models authorization.